CategoriesDúvidas frequentes

Você sabe a diferença entre a limpeza de pele profunda e a limpeza de pele diária?

Limpar a pele diariamente é fazer a higienização da pele do rosto adequadamente com os produtos indicados para nosso tipo de pele em casa mesmo, como sabonetes faciais por exemplo, cada pele é diferente da outra, logo recomendamos que consulte um dermatologista que ele saberá te indicar a melhor forma de fazer sua higienização de acordo com seu tipo de pele.

Já a limpeza de pele profunda é realizada por um profissional, que fará a extração de cravos e espinhas. Que deve ser feito regularmente, a frequência depende do seu tipo de pele e também da orientação de um dermatologista. A limpeza profunda ajuda muito peles oleosas que produzem muito sebo e que tem tendência à acne.

Ambos são extremamente importantes e devem ser adicionados nos nossos hábitos de cuidados com a pele e cada um traz benefícios diferentes. A limpeza diária funciona mais como a prevenção de que acumule sebo na nossa pele, sendo uma limpeza mais superficial e a profunda remove as impurezas mais profundas que se acumularam nos nossos poros, remoção de camada de pele morta e até a retirada de milium.

Não é recomendado que se retire cravos e espinhas em casa, já que podem inflamar, infeccionar, além de poder deixar cicatrizes. Essa limpeza deve ser feita por um profissional habilitado e geralmente é recomendado de 30 a 60 dias, porém depende de cada tipo de pele. Apesar de a limpeza diária ser mais superficial, não deve ser esquecida pois ela é essencial para uma pele saudável.

CategoriesCURIOSIDADES DIA A DIA Dúvidas frequentes

Mitos e verdades sobre o vitiligo

O vitiligo é uma doença autoimune que provoca, como sintoma, manchas brancas na pele, que se não forem tratadas, crescem e se espalham pelo corpo. Apesar de atingir milhões de brasileiros e não ser mais tão incomum para as pessoas, o vitiligo ainda causa muita curiosidade, estigma e preconceito.

Por isso, reunimos aqui alguns mitos e verdades que rondam a doença para que não se tenha mais dúvidas sobre essa condição.

VERDADEIRO – Existe uma predisposição genética para ter a doença.

O vitiligo é desencadeado por um fator genético, mas isso não quer dizer que ele seja hereditário. É possível ter vitiligo e não ser portador da doença! Então se alguém da sua família teve, pode sim, haver uma predisposição genética. Geralmente, esta condição acontece igualmente entre homens e mulheres e os casos surgem, na maioria das vezes, antes dos 20 anos.

FALSO – Vitiligo é contagioso.

Ao contrário do que muitos pensam o vitiligo não é contagioso. Como abordado no ponto anterior, essa condição é desencadeada por quem já tem uma predisposição genética.

FALSO – É causada por fatores emocionais.

O vitiligo não é caudado, mas pode ser desencadeado. Ele surge após o desaparecimento dos melanócitos, células responsáveis pela melanina (pigmento que dá cor à nossa pele). Acredita-se que esse desaparecimento é referente a um problema crônico e autoimune (células de defesa atacam outras células do próprio corpo).

VERDADEIRO – Quem tem vitiligo pode ter câncer de pele.

A pele de quem tem vitiligo é mais sensível e, por isso, mais propensa a desenvolver doenças de pele como o câncer. Por isso, é importante fazer um acompanhamento com o médico especialista e fazer uso contínuo de protetor solar em todo o corpo.

FALSO – Vitiligo tem cura.

O vitiligo ainda não tem cura mas existem inúmeros tratamentos eficazes que podem ajudar o paciente a conviver, de forma saudável, com as manchas na pele sem ter complicações. Embora cada caso seja um caso, geralmente o tratamento segue por duas linhas: deter a progressão da doença ativa limitando a área envolvida pela despigmentação ou repigmentar as áreas brancas.